Há alguns dias eu li Quatro de Veronica Roth. Ele faz parte da saga Divergente, que causou furor, parecido com Jogos Vorazes e sagas semelhantes.
Não li Divergente. Não me interessou. Apesar de ser uma leitora ávida e compradora compulsiva de livros, não tive curiosidade em ler mais do que a sinopse dos 3 primeiros livros. Mas, assim que Quatro foi lançado, eu o comprei. Não me perguntem o porquê!!!! Não sei até hoje huauhahu.
Mas, minha intuição estava certa, eu adorei este livro, que na verdade é dividido em contos. A história é contada do ponto de vista de Tobias Eaton, que se transforma no Quatro do título. 
Confesso que me impressionei com o personagem do filme, não só porque o intérprete é exótico e lindo, mas com sua história mal contada, seu mau humor, seu sarcasmo. Desde sua primeira aparição, tive a sensação de que a história na verdade, era sobre ele. A questão é que Divergente é contado a partir da perspectiva de Tris, por isso não vemos de cara a importância de Tobias no cenário como um todo.
Em Quatro, acompanhamos o que acontece antes dos eventos descritos a partir de Divergente. Vemos o que levou Tobias a mudar de facção e deixar o pai, como ele se desenvolveu durante o processo de adaptação, e alguns segredos que deixam sua situação dentro da Audácia, mais perigosa. E vemos ele se transformar em Quatro (número de medos que ele realmente possui).
Também é possível observar que ele não se deixará controlar, seus princípios são muito superiores aos de sua nova facção, assim como da antiga. Os motivos que o levam a tomar suas decisões são muito bem elaborados, uma combinação de emoção e razão, nas medidas certas.
Curti. Muito!!!

Beijos ;)


0 comentários:

Trechos

*Deveras, gosto de fazer essas coisas. Pegar a vida e fazer com a vida outras tantas vidas, fazendo de conta que a vida é diferente. Penso que, com isso, até melhoramos um pouquinho a vida. Aprendemos a melhorar a vida. E até melhoramos um pouquinho cada um de nós*

José Arrabal
Tecnologia do Blogger.

Afinidades

Google+ Followers