Existe uma dor aqui dentro, que eu escondi no meu peito para poder seguir adiante, era o único jeito... Mas às vezes ela escapa e me derruba no chão, tirando o ar dos meus pulmões, confundindo minha mente e eu luto para respirar mais uma vez. Passado o choque inicial, eu corro em seu encalço e a prendo novamente. É o único jeito.
Cada pessoa lida de uma maneira diferente com a perda. Eu não consigo lidar, não ainda. Não estou ignorando, apenas não posso sentir, não posso permitir que seja liberado, porque eu sei que se isso acontecer, não haverá volta, estarei irremediavelmente despedaçada. No momento, com as escapadas da dor, eu estou trincada, mas ainda inteira. Se ela sair, ficarei quebrada e não sei se sou capaz de me reerguer depois disso. 
Como alguém se recupera de algo assim? Como alguém consegue fazer o que tem que fazer no dia a dia com esse sentimento dilacerando cada parte do seu ser? Como é possível respirar depois que parte da sua alma foi tirada de você?
Eu tenho medo de um dia descobrir as respostas a essas perguntas... Mas tenho um medo ainda maior de não encontrar essas respostas, de que elas não existam.


Trechos

*Deveras, gosto de fazer essas coisas. Pegar a vida e fazer com a vida outras tantas vidas, fazendo de conta que a vida é diferente. Penso que, com isso, até melhoramos um pouquinho a vida. Aprendemos a melhorar a vida. E até melhoramos um pouquinho cada um de nós*

José Arrabal
Tecnologia do Blogger.

Afinidades

Google+ Followers