O último texto da compilação de Jane Austen é Persuasão... Confesso que o acho o texto mais triste da autora, dentre os que li. Em Razão e Sensibilidade, Orgulho e Preconceito e Abadia de Northanger, as heroínas iniciavam suas jornadas de maneira até que alegre, para só depois passarem por provações até alcançar a felicidade de que eram merecedoras... Aqui, a pobre Anne sofre desde o princípio. 
Anne é de uma família nobre, com títulos impressionantes, mas que passam por dificuldades financeiras devido à falta de bom senso do pai e da irmã, ambos extremamente vaidosos e egoístas. Anne é diferente, e em grande parte devido aos sofrimentos causados por suas escolhas do passado. Ela é doce e aceita seu destino com certa calma. Já está com 27 anos e não tem nenhuma perspectiva de casamento, além de o sofrimento dos últimos terem lhe roubado uma parte do seu brilho.
Ao reencontrar o único amor de sua vida, ela se resigna a aceitar com gratidão  todo gesto de bondade que ele lhe oferece, sem esperar que ele a perdoe por ter lhe tratado tão mal no passado.
Ao longo da história, nós percebemos como sua bondade é verdadeira, ela tenta ser útil a todos ao seu redor, sem com isso esperar qualquer compensação ou tentativa de bajulação. Sua alma é boa!!! E o reencontro com Frederick reaviva não só seus sentimentos como também o brilho que lhe foi tirado. É uma história encantadora, simples, irônica e inteligente... Como sua autora. Recomendadíssimo!!!!

Título: Persuasão
Autora: Jane Austen
Editora: Martin Claret

Sinopse: O enredo gira em torno de Anne Elliot, filha de Sir Walter Elliot, um vaidoso e esnobe baronete. No passado, Anne apaixonara-se por Frederick Wentworth, que, embora belo, inteligente e ambicioso, não tinha tradições ou conexões familiares importantes - e assim Anne fora persuadida pela família a romper com ele. Em 1815, momento em que se passam os eventos narrados no livro, a boa, generosa e sensível Anne Elliot continua solteira, mas agora, aos 27 anos, pensa com mais autonomia e maturidade. Agora, também, a situação financeira de Sir Walter Elliot é desfavorável, e ele se vê obrigado a alugar a propriedade da família. Por força do destino, o novo ocupante da residência é cunhado de Wentworth. Quase oito anos após o rompimento, Anne se verá novamente convivendo com seu grande amor, agora um capitão da Marinha, e reflexões, conjunturas e arrependimentos serão inevitáveis. Anne e Frederick se redescobrem apaixonados, e renovam o compromisso de casamento.


0 comentários:

Trechos

*Deveras, gosto de fazer essas coisas. Pegar a vida e fazer com a vida outras tantas vidas, fazendo de conta que a vida é diferente. Penso que, com isso, até melhoramos um pouquinho a vida. Aprendemos a melhorar a vida. E até melhoramos um pouquinho cada um de nós*

José Arrabal
Tecnologia do Blogger.

Afinidades

Google+ Followers