Hoje é dia de Finados, um dia em que as pessoas dedicam um pouco do seu tempo para visitar aqueles que se foram, cujos restos estão enterrados em cemitérios. 
Quando comecei a frequentar uma igreja evangélica, ouvi muitos dizerem que fazer essas visitas ao cemitério eram bobagem, pois ali não se encontrava mais o ente perdido, sua alma não se encontrava mais nesse mundo, e que isso nada mais era que mais um ritual pagão que a igreja católica tinha adotado. 
Hoje, mais de um ano após a morte do meu pai eu contrario todo esse discurso, e sim, visito o seu túmulo. Eu sei que sua alma não está mais aqui, mas depois de tudo o que houve, eu sinto essa necessidade de ir até lá, o local onde seu corpo está, para me desculpar, para conversar, para lhe dizer o quanto eu sinto a sua falta. Sei que posso fazer isso de qualquer lugar que eu esteja, mas sinto que faço isso melhor ali, como se aquele lugar de certa forma, fosse sua nova forma física.  Acho que não faz sentido, mas é como percebo essa situação toda.
Há não muito tempo, li em um livro que funerais não eram para os mortos, eram para aqueles que ficam... Acredito que os cemitérios também. Eles são necessários para nós que ainda estamos por aqui, como um lembrete e um refúgio.

Bjos

0 comentários:

Trechos

*Deveras, gosto de fazer essas coisas. Pegar a vida e fazer com a vida outras tantas vidas, fazendo de conta que a vida é diferente. Penso que, com isso, até melhoramos um pouquinho a vida. Aprendemos a melhorar a vida. E até melhoramos um pouquinho cada um de nós*

José Arrabal
Tecnologia do Blogger.

Afinidades

Google+ Followers